Auto-anticorpos na Hepatite auto-imune

|IMUNOLOGIA|


A hepatite auto-imune (HAI) é uma doença inflamatória crônica, de etiologia desconhecida, que se caracteriza por sua associação com auto-anticorpos circulantes. O consenso internacional para o estudo de hepatites auto-imunes, realizado em 1993 e revisado em 1999, descreveu os critérios para o diagnóstico de hepatite auto-imune. Entre os critérios, a presença de determinados auto-anticorpos, na ausência de outras hepatopatias crônicas (como infecções virais, hepatotoxidade por drogas e álcool e doenças metabólicas hereditárias - doença de Wilson, hemocromatose e deficiência de a1 - antitripsina) auxilia na investigação de hepatite auto-imune.

Os anticorpos anti-nucleares (FAN-Fator anti-nuclear), anti-músculo liso (SMA- Smooth Muscle Antibody) e anti- fração microssomal de fígado e rim (LKM-1- Liver Kidney Microsomal), deveriam ser investigados em todos os pacientes com achados clínicos, histológicos e/ou laboratoriais (marcada hipergamaglobulinemia com elevação seletiva de IgG e/ou discreta ou moderada elevação dos níveis de aminotransferases) sugestivos de hepatite auto-imune.


TIPOS DE HEPATITES AUTO-IMUNES


Baseado no tipo de auto-anticorpo identificado, a hepatite auto-imune pode ser classificada em Hepatite auto-imune tipo 1 (HAI-tipo 1), tipo 2 (HAI-tipo 2) e tipo 3 (HAI-tipo 3). Embora o consenso não reconheça estes tipos como entidades clínicas ou etiológicas distintas, eles têm sido incorporados na prática médica.

A tabela a seguir resume as principais características dos tipos de hepatite auto-imune.


HAI-tipo 1

HAI-tipo 2

HAI-tipo 3

Auto-anticorpos
característicos

FAN
Anti-músculo liso

LKM1

Ausência de FAN,
Anti-músculo liso e
LKM-1

Outros
auto-anticorpos

Anti-actina
Anti-ASGPR
pANCA

Anti-ASGPR
Anti-LC1
pANCA

Anti-SLA/LP
Anti-LC1
Anti-ASGPR
pANCA

Freqüência

80%

4%

3%

Idade

20-40 anos

Até 15 anos

20-40 anos

Gênero

Feminino (70%)

Feminino

Feminino (91%)

Doenças
Imunológicas
associadas

Tireoidite
Sinovite
Colite

Diabetes mellitus tipo 1
Vitiligo
Tireoidite auto-imunes

-



A presença de FAN, anticorpos anti-músculo liso e LKM-1, em títulos superiores a 1:80, por imunofluorescência indireta (IFI), tem alto valor preditivo para HAI; títulos inferiores a 1:40, principalmente para LKM-1, podem ser significativos em pacientes pediátricos. Os títulos destes anticorpos não se relacionam com o curso, prognóstico, progressão, atividade ou resposta a tratamento e podem variar no curso da doença.

A presença de anticorpos anti-múculo liso com especificidade para F-actina, em títulos iguais ou superiores a 1:160, por IFI, são altamente preditivos de HAI-1.

O consenso inclui outros auto-anticorpos, como o anti-receptor de asialoglicoproteína (anti-ASGP-R), anti-antígeno solúvel do fígado (anti-SLA/LP), anti-citosol hepático tipo 1(anti-LC1) e anticorpos anti-citoplasma de neutrófilo (padrão perinuclear; p-ANCA) como relevantes, principalmente, na investigação de pacientes soronegativos para FAN, anti-músculo liso e LKM-1.


Técnicas utilizadas e Resultados


O método de triagem para o anticorpo anti-nuclear, anticorpo anti-músculo liso e anticorpo anti-LKM-1 é a Imunofluorescência indireta . A IFI para FAN utiliza como substrato células Hep2 e para anti-músculo liso e LKM-1, cortes de estômago e rim de rato.

Os resultados são expressos como não reagente e reagente com indicação do título.
Os resultados reagentes para anticorpo anti-nuclear são acompanhados de padrões de fluorescência (aspecto do substrato na leitura de IFI).

Nos resultados reagentes para anticorpos anti-músculo liso são incluídos a pesquisa de anticorpos contra a bainha da camada muscular (em cortes de estômago de rato), e a pesquisa de constituintes antigênicos do glomérulo, do vaso e do túbulo renal (observados em cortes de rim de rato). A presença de fluorescência para as estruturas tubulares renais são específicas para a F-actina. A presença isolada de anticorpos anti-músculo liso contra a bainha da camada muscular pode não ter significado clínico e estar relacionada a anticorpos contra constituintes diferentes da F-actina.
__________________________________________________________

LEITURAS SUGERIDAS

1) ALVAREZ, F. et al. International autoimmune hepatitis group report: rewiew of criteria for diagnosis of autoimmune hepatitis. In: J Hepatol 31:929-938; 1999.

2) ABDULLAH, J. et al. Current concepts in the diagnosis, pathogenesis and treatment of autoimmune hepatitis. In: Mayo Clin Proc 76: 1237-1252, 2001.

3) CZAJA, A.J. et al. Diagnosis and treatment of autoimmune hepatitis. In: Hepatology 36 (2): 481-497, 2002.

4) STRASSBURG, C.P. et al. Autoantibodies and autoantigens in autoimmune hepatitis. In: Seminars in Liver Disease 22(4): 339-351, 2002.
__________________________________________________________

Autores:
Claudete Seadi e Rejane Maria Oravec
Contato: cseadi@weinmann.com.br

Data: Setembro-Outubro/2004
__________________________________________________________