Determinação dos níveis de LDL-Colesterol por método direto

|BIOQUÍMICA|


GENERALIDADES


Diversos estudos clinico-epidemiológicos têm demonstrado que o LDL-colesterol (Low Density Lipoprotein - LDL-C) é um fator de risco causal e independente para o desenvolvimento de doença coronariana e que a diminuição dos níveis de LDL-C sérico está associada a uma menor morbimortalidade relacionada à aterosclerose. As diretrizes do Programa Nacional de Educação em Colesterol Americano (National Cholesterol Education Program - NCEP), mencionadas no Tópico de Patologia Clínica Q24 (Novo Consenso Para Monitorização De Níveis De Lipídios) e as III Diretrizes Brasileiras Sobre Dislipidemias da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), elaboradas em 2001, incluem a determinação de LDL-C como critério primário para o diagnóstico e monitorização de tratamento de pacientes com hiperlipemia e com múltiplos fatores de risco, especialmente os associados com a síndrome metabólica.

Tradicionalmente, a concentração de LDL-C é estimada através da equação de Friedewald, que permite determinar o valor de LDL-C a partir dos valores séricos de colesterol total (CT), triglicérides (TG) e HDL-colesterol (HDL-C). Embora o NCEP e a SBC reconheçam a aplicação da equação de Friedewald como válida, diversas variáveis clínicas e analíticas podem induzir modificações nos níveis e na composição das lipoproteínas envolvidas na equação limitando a sua aplicabilidade. Essas limitações levaram o NCEP a recomendar a utilização de métodos mais exatos para a determinação dos níveis séricos de LDL-C. Recentemente, métodos diretos, automatizados, têm sido introduzidos na rotina laboratorial para essa finalidade.


DETERMINAÇÃO DE LDL-COLESTEROL


A equação de Friedewald é expressa como LDL-C = CT-(HDL-C)-(TG/5). O requisito básico para a aplicação da equação é que a concentração de triglicérides séricos seja inferior a 400 mg/dL. Diversos estudos indicam que, apesar de atender a este requisito, a equação tende a subestimar o valor real do LDL-C.

Variáveis biológicas e analíticas contribuem para a variabilidade introduzida pela equação de Friedewald na determinação dos níveis de LDL-C. A aplicação da equação não é valida para pacientes com hiperlipoproteinemia tipo III de Fredrickson, onde os níveis de LDL-C são superestimados pela presença de lipoproteínas atípicas, e na ausência de jejum, onde a presença de quilomicrons circulantes superestima os valores de TG subestimando os níveis de LDL-C calculados pela equação. Alguns estudos mencionam que a equação deveria ser utilizada com cautela em condições responsáveis por dislipidemias secundárias como no diabetes mellitus, hepatopatias e nefropatias.

O NCEP recomenda que o nível de LDL-C deve ser determinado com um erro analítico total que não exceda a 12%. A maior desvantagem da equação é que a variabilidade total da estimativa é o resultado da combinação da variação das determinações de CT, TG e HDL-C e, freqüentemente, o nível de desempenho analítico, recomendado pelo NCEP, não é alcançado.

Para aumentar o desempenho diagnóstico, o NCEP recomenda a utilização de métodos diretos para a determinação dos níveis de LDL-C. Entre eles, os métodos homogêneos, permitem determinar os níveis de LDL-C para valores de triglicérides até 1000mg/dL, excluem a necessidade de jejum prolongado (12 horas) e, por serem automatizados e basearem-se em uma única determinação, diminuem consideravelmente a variabilidade analítica satisfazendo as recomendações do NCEP.

Diferentes estudos indicam que o desempenho dos métodos homogêneos é semelhante ao da equação de Friedewald para níveis de TG inferiores a 400mg/dL e significativamente superior para altas concentrações de triglicérides (superiores a 400mg/dL), onde a equação não deve ser aplicada.


MÉTODO UTILIZADO E VALOR DE REFERÊNCIA


O método utilizado na determinação do LDL-C é o homogêneo enzimático colorimétrico. Os resultados são expressos em mg/dL. Os valores de referência, por faixa etária, são os preconizados pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (III Diretrizes Brasileiras sobre Dislipidemias; 2001):



De 02 a 19 anos
Acima de 19 anos
Ótimo:
-
<100
Desejável:
<110
100-129
Limítrofe:
110-129
130-159
Elevado:
>129
160-189
Muito Elevado:
-
>189



RECOMENDAÇÕES Justificar
A realização de LDL-C por método direto requer jejum mínimo de 4 horas para todas as faixas etárias.
__________________________________________________________

LEITURAS SUGERIDAS

1) ESTEBAN-SALAN M., et al.Analytical and clinical evaluation of two homogeneous assays for LDL-cholesterol in hyperlipidemic patients. In: Clin. Chem. 46: 1121-1131, 2000. http://www.clinchem.org/cgi/content/full/46/8/1121.

2) MILLER, W.G.,et al. Performance of four homogeneous direct methods for LDL-cholesterol. In: Clin. Chem. 48:489-498, 2002. http://www.clinchem.org/cgi/content/abstract/48/3/489.

3) NAUCK, M.,et al. Analytical and clinical performance of a detergent-based homogeneous LDL-cholesterol assay: a multicenter evaluation. In: Clin. Chem. 46: 506-514, 2000. http://www.clinchem.org/cgi/content/abstract/46/4/506.

4) NAUCK, M., et al. Methods for measurement of LDL-Cholesterol: a critical assessment of direct measurement by homogeneous assays versus calculation. In: Clin. Chem. 48: 236-254, 2002. http://www.clinchem.org/cgi/content/abstract/48/2/236.

5) TÜRKALP M., et al. Analytical performance of a direct assay for LDL-cholesterol: a comparative assessment versus Friedewald's formula. In: Anadolu Kardiyol Derg. 5:13-17, 2005. http://www.anakarder.com/yazilar.asp?yaziid=505.

6) III DIRETRIZES BRASILEIRAS SOBRE DISLIPIDEMIAS E DIRETRIZ DE PREVENÇÃO DA ATEROSCLEROSE DO DEPARTAMENTO DE ATEROSCLEROSE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA, 2001. In: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2001/77Supl-III/Dislipidemia.pdf.

7) NATIONAL CHOLESTEROL EDUCATION PROGRAM. Third report of the expert panel on detection evaluation and treatment of high blood cholesterol in adults (Adult Reatment Panel III). In: http://www.nhlbi.nih.gov/guidelines/cholesterol/index.htm.
__________________________________________________________

Autores:
Rafael Failace
...............Fabio Brandt
Contato: rfailace@weinmann.com.br

Data: Março-Abril/2005
__________________________________________________________