Monitorização contínua da glicose

|BIOQUÍMICA|


GENERALIDADES


O controle da glicemia, através da avaliação dos níveis de glicose sangüínea, possibilita a prevenção de várias complicações crônicas responsáveis pela alta morbidade verificada no Diabetes mellitus. A determinação dos níveis de glicose, que traduzem a glicemia em um determinado momento (glicemia em jejum ou pós-prandial) ou que refletem os níveis médios de glicemia retrospectivamente (hemoglobina glicada e frutosamina), podem não caracterizar as condições que cursam com flutuações nas taxas de glicemia. A monitorização contínua da glicose subcutânea (MCGS), realizada por meio de um sensor acoplado a um monitor (holter de glicose), permite traçar um amplo perfil das variações nos níveis de glicemia por um período de até três dias. O monitoramento é possível devido à estreita correlação entre os níveis de glicose subcutânea e sangüínea.

O MCGS está especialmente indicado para:
- Controle e ajuste da dose de insulina;
- Ajuste terapêutico em diabetes de difícil controle;
- Controle de hiperglicemia em diabetes gestacional;
- Investigação de hipoglicemias em pacientes não diabéticos;
- Identificação de hipoglicemia noturna.

A possibilidade de monitorar continuamente os níveis de glicose, através de tecnologia minimamente invasiva, auxilia o clínico na definição de estratégias direcionadas a otimizar o controle metabólico de pacientes diabéticos.

METODOLOGIA

A monitorização contínua da glicose subcutânea é realizada por meio de um sensor, inserido em um cateter flexível que, quando introduzido no tecido subcutâneo, gera sinais elétricos, resultantes da ação da enzima glicose-oxidase (presente no sensor) sobre a glicose. Os sinais elétricos emitidos pelo sensor são coletados e armazenados por um monitor a cada 10 segundos e registrados, em valores médios de glicose, a cada 5 minutos. Um total de 288 medidas de glicose são registradas por dia, durante três dias. A intensidade destes sinais é proporcional à quantidade de glicose intersticial presente. A faixa útil de detecção do monitor varia de 40-400 mg/dL.

Os sinais do sensor devem ser calibrados diariamente, em intervalos regulares, registrando no monitor, pelo menos, quatro determinações de glicose capilar, obtidas com um glicosímetro calibrado. Paralelamente ao registro dos valores de glicemia capilar, o paciente deve registrar os eventos referentes à administração de insulina, ingestão de alimentos, realização de exercícios e presença de sinais sugestivos de hipoglicemia. Os níveis de glicose não são visualizados no monitor em tempo real. A totalidade dos valores obtidos pelo sensor é analisada posteriormente, por um programa específico, e o resultado é expresso graficamente.

RESULTADOS

O laudo fornece um resumo estatístico, e expressa, de forma gráfica, os resultados obtidos durante o período da monitorização (Figura 1 e 2). A interpretação dos resultados, baseada nos gráficos e nas informações registradas pelo paciente, é realizada pelo clínico.

Figura 1 - Representação gráfica dos resultados obtidos durante o período da monitorização

monitorizacao da glicose

Figura 2 - Relação entre os níveis de glicose e os eventos registrados pelo paciente/dia

monitorizacao continua da glicose
___________________________________________________________

LEITURAS SUGERIDAS


1) BODE, B.W. New opportunities for therapeutic changes with continuous glucose sensing. In: Diabetes Spectrum 13(3): 171-174, 2000.

2) GROSS, T.M., et al. Clinical utility of the continuons glucose monitoring system. In: Diabetes Tecnology &Ttherapeutics 2 (supp.1): S35-41, 2000.

3) GROSS, T.M., et al. Performance evaluation of the MiniMed continuons glucose monitoring system during patient home use. In: Diabetes Tecnology & Therapeutics (2): 49-56, 2000.
___________________________________________________________

Autor:
Marilda Rodenbusch
Contato: mrodenbusch@weinmann.com.br

Data: Maio-Junho/2004
___________________________________________________________