Investigação de Fase Pré-Analítica através de Comparação Estatística de Populações

INTRODUÇÃO

O processo analítico no laboratório clínico é composto de diferentes etapas sucessivas, via de regra, denominadas como: fase pré-analítica, fase analítica e pós-analítica. A fase pré-analítica engloba as etapas desde a recepção do cliente na unidade de atendimento até o transporte do material até a área de processamento analítico . A fase pré-analítica deve ter sua padronização criteriosamente definida e constantemente monitorada em razão do impacto significativo das atividades realizadas nessa fase do processo sobre a qualidade do resultado liberado para as determinações laboratoriais processadas.

Em caso de laboratórios de Apoio, o controle da fase pré-analítica é mais complexo, principalmente por ser realizado em outra empresa. Uma alternativa de controle no próprio laboratório de Apoio é a análise estatística de populações de dados da rotina (resultados de amostras processadas em um determinado período para um determinado ensaio laboratorial).

No caso do presente estudo, utilizamos a análise estatística de dados de rotina para o ensaio de potássio sérico para investigar possíveis problemas na fase pré-analítica para amostras coletadas fora do nosso laboratório, comparando com populações de dados provenientes de coletas realizadas no próprio laboratório para o mesmo analito

OBJETIVO

Investigar a adequação de práticas pré-analíticas de clientes laboratórios para o ensaio de potássio sérico utilizando comparação estatística de populações.

CASUÍSTICA E MÉTODOS

Em razão de resultados significativamente elevados de potássio em amostras enviadas por um laboratório cliente (LABC), decidimos investigar a adequação de práticas pré-analíticas nesses clientes através de análise estatística de resultados desse analito em amostragens mais significativas (16 meses) em populações de unidades do próprio laboratório e de LABCs previamente selecionados. Foram selecionadas para análise 4 populações: 1 unidade do próprio laboratório (MV), 1 unidade de apoio (LA) e dois LABCs: TX e BF, com amostragens de 2460, 2221, 255 e 72 resultados, respectivamente.

O processamento estatístico dos dados foi realizada através dos softwares Microsoft Excel® e Minitab®.

RESULTADOS




DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

O teste ANOVA apresentou diferença significativa entre todas as populações investigadas. O laboratório do qual se suspeitava problemas pré-analíticos (TX), não apresentou média de resultados superior a das demais populações, não confirmando os achados pontuais encontrados nas últimas amostras processadas na rotina. Entretanto, um outro LABC (BF) apresentou resultados de potássio significativamente mais elevados do que o das outras populações. Os resultados do estudo permitem concluir pela relevância do estudo comparativo de populações, com amostragens mais significativas, na busca de evidências objetivas para elucidar suspeitas em rotina laboratorial.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CALLEGARI-JACQUES, Sidia. Bioestatística. ArtMed, 2003.
VIEIRA, Sonia. Estatítica para a Qualidade. Campus, 1999.
DORIA F°, Ulisses. Introdução à Bioestatística

AUTORES

BERLITZ F.; SCHENKEL, O.; HERMES, D.; FAILACE, R.
Weinmann Laboratório - Porto Alegre,RS
fberlitz@weinmann.com.br